quarta-feira, 17 de abril de 2013











"Tenho saudade do cheiro de esgoto das ruas de Poá
Tenho saudade de todos os meus cães e gatos que já morreram
Tenho saudade dos meus amigos quando eram amigos 
Saudade da fé que eu tinha nas pessoas 
e do amor quando não era corrompido 
Saudade dos elogios, dos gestos de carinho e admiração das minhas utopias  
Saudade do vento frio a cortar meu rosto 
quando os ônibus de viagem abriam janelas
Tenho saudade de quase tudo o que passou 
e daquilo tudo que não tive  
Daquele futuro exato que jamais cruzou meu caminho
Do ânimo que eu tinha para levar porrada
quando não tinha levado tanta porrada  
Dos sorrisos mais sinceros e o desejo da minha companhia
Tenho saudade de mim que já não sou
Tenho saudade da mentira da minha vida que nunca virou verdade e dos sonhos bons que tive quando era jovem demais 
para ainda cair na besteira de acreditar na vida 
O futuro virou presente e o presente esmaeceu ao passado










Ah, tenho saudade de quando eu ainda tinha sono
Sonhei deveras pois sou humano antes de ser o que sou 
Tenho saudade das saudades que de mim sentiam  
Tenho saudade de toda e cada coisa que não vivi e pelo que vivi 
Tenho saudade de ser escritor, artista, anjo louco cheio de vida 
Tenho saudade de quando a vida era mais fácil e eu não queria morrer
Tenho saudade dos poetas Ginsberg e Bukowski a me salvar da morte 
Jack Kerouac gritando para mim que a vida é boa
Tenho saudade do poeta que havia em mim 
antes de ser tapeado pela sorte
Saudade dos rocks e dos sambas, dos blues nas manhãs de São João
Saudade de ter uma família ou o plano de uma família 
..ou qualquer coisa parecida  
Saudade de quando isso não fazia de mim um ser ridículo
Saudade de tanta coisa que em mim não cabe
Maldito aquele que inventou a saudade e não me ensinou o caminho de volta 
Condenado a viver à deriva e à espera de um naufrágio
Quando o que há é a certeza da saudade e a falta de esperança 
A vontade da mudança e a impossibilidade do voltar a ser o que fui
Antes que tudo se reduzisse a cinzas
Antes que o mundo se cansasse de mim 
e me condenasse à eterna solidão da alma"








Créditos a Andrew Clímaco; 
"O Amor É Um Cão Dos Diabos" 
cronicadeumamorlouco.wordpress.com 
21/02/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário