domingo, 31 de julho de 2011

sexta-feira, 22 de julho de 2011

quinta-feira, 21 de julho de 2011



O retrato perfeito da minha vida, no presente momento:



domingo, 3 de julho de 2011

Útero gravídico


Ser Veterinario é bom

É sim! Mexer com bicho, uma diversidade enorme deles. Era o que eu queria fazer desde que me dei por gente!

Claro que eu não contava com os questionamentos dos proprietários, os telefonemas, as perguntas, as cobranças e toda aquela pressão tentando nos deixar malucos.. As diferenças e as improváveis semelhanças de cada clinica.. as histórias.. cada casa em que cheguei pra descansar no final de cada dia, cada cidade que morei, os amigos que fiz e as pessoas que conheci.. as despedidas.. os reencontros inesperados no meio do caminho.. no fim de cada dia eu agradeço.. muito!

Agradeço sim. São sete anos nessa vida, estou só no começo.. no entanto me orgulho em dizer que em todo esse tempo, um dia nunca foi igual ao outro.. nunca!

Dias bons sim, em sua maioria. Dias que passam muito rápido, em que a gente nem come.. nem vai ao banheiro.. as barrinhas de cereal, os nossos Mentos sagrados, as refeições interrompidas pela campainha, os cafés e os copinhos de água com pressa.. os plantões noturnos, as 12 horas - ou mais - nos feriados.. Mas tudo faz parte.. não fossem esses dias malucos, a gente não saberia valorizar os dias tranqüilos de trabalho.. são esses dias que nos unem, que nos tornam mais fortes.. que nos capacitam ainda mais e nos preparam pra vida

As horas extras que não acrescentam nem um centavo a mais na nossa conta bancária.. Mas que nos ensinam o que não tem preço

..e acredite.. isso ainda pode fazer a diferença; Hoje em dia o Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo, conta com mais de 29 mil Médicos Veterinários inscritos.. destes, mais de 27 mil estão atuando na profissão. São 47 faculdades só no estado de SP, lançando no mercado quase 17 mil profissionais por ano! E só até Junho deste ano, o CRMV - SP já inscreveu quase 2 mil profissionais, ávidos por trabalho..

Se os nobres colegas estão aptos ao trabalho, não cabe a mim avaliar.. eu acho que eu estava.. mas afirmo seguramente que aprendi muito mais fora da faculdade do que dentro dela

É por isso que eu digo parcero: Se diferencie, estude.. busque aprimoramento.. porque o mercado de trabalho não está pra brincadeira não

Eu não gosto da palavra “concorrência” acredito na palavra “parceria”, acredito em somar talentos, mais do que em dividir.. acredito na ética e na capacidade de comprometimento pela profissão, e sobretudo pela missão que nos é confiada. Pela curta experiência que tive, aprendi que sempre haverá vagas para bons profissionais






Mesmo porque o próprio profissional despreparado, acaba se tornando seu pior inimigo

Hoje olho para trás e me recordo das provações pelas quais passei; penso nas que ainda virão.. e rezo para que sejam muitas!

Bem, vamos a algumas delas..

O cachorro do tiozinho, um dos meus primeiros pacientes. Fizemos a vacinação.. os vermífugos.. tudo foi tão certinho.. passou raspando na Cinomose.. sobreviveu as “parvos” da vida.. de repente ele sumiu. Eu geralmente acho isso bom, sinal que estão bem.. mas tem paciente que a gente libera e fica meio assim.. e esse era um deles.. o tiozinho sempre atrasava as vacinas e deixava o filhote passear livremente pelas ruas

Mesmo assim ele ficou bem forte, e voltava de vez em quando com uma mordida ou uma intoxicação leve depois daquele churrasco ou feijoada. Naquela época eu trabalhava a noite. Era quando eu estava começando a não gostar muito dos dias demasiado tranqüilos.. ele chegou DOIS minutos antes de fechar a clinica.. com duas plaquetas no sangue e OITO de hematócrito.. morrendo!

Eu gostava dele.. ele era tão feliz, apesar da vida simples que levava. Cães tem esse invejável talento.. o de não de se importar muito com seu status social. Eu não sabia, mas ele já estava atravessando os portões do gramado infinito.. a lingua e as mucosas mais brancas do que o branco dos olhos! Ele parecia um pé de jabuticaba de tanto carrapato

Passei a orientação para o tiozinho, apesar de tudo, eu juro que eu tinha esperanças! Mas uma lição que eu aprendi bem cedo, é a de NUNCA dar garantia.. para NADA. Em primeiro lugar, para me proteger.. em segundo, para não alimentar falsas esperanças no coração dos proprietário; Isso nunca foi fácil.. mas hoje eu faço tudo diferente..

Fatos: o animal precisava de transfusão, ia ficar caro, e ele ainda podia morrer.. não há maneira de dizer isso de maneira mais suave. O tiozinho saiu sem entender NADA

Agora era aquilo.. soro, colchãozinho térmico e transfusão.. e meu passeio com a paquera já tinha ido pro beleléu né.. Enquanto eu aguardava o proprietário trazer um cão pra ser o doador, o dono da clínica me encarava com olhar de reprovação; “Eu nunca ví um Médico Veterinário não garantir o seu próprio serviço” ele disse

Eu queria dizer: “Fica na tua aí parcero.. cuida do teu trampo e dexa que a minha parte aqui eu faço valeu.”

Mas eu disse: “Pois é né.. a gente não pode garantir.. é um caso grave.. muito sério.. nessas “emergências”.. se salvar a gente é herói.. mas se, por um acaso.. nada der certo e a gente não conseguir, é por que era pra ser assim mesmo né..” é claro, que ele não se convenceu. Só se convenceu um dia que ele deu garantia, a garantia não funcionou e ele não tinha mais ninguém pra botar a culpa

Eu estava pensando o que ia dizer pra minha menina, sobre o motivo de eu estar cancelando mais um passeio.. o 4º ou 5º só naquele mês.. era uma sexta feira, a semana havia sido f#d@.. Eu só queria banho & cama.. Foi quando o cãozinho começou a se esticar.. o olho vidrou, não deu jeito.. droga!

Coloquei o bichinho no saco preto.. Mesmo nesses casos de negligência, fica difícil evitar de se sentir um completo incompetente.. Liguei pro proprietário, pra informar do ocorrido e dizer que nem precisava mais trazer o doador.. o tiozinho já estava no décimo sono, falei com a tiazinha, a esposa dele

Eu queria dizer: “Oia tia, acorda esse traste aí que eu preciso falar com ele! Oia Tiozinho, seu cachorro morreu e a culpa é SUA, da próxima vez não espera ele ficar DEEEEEZ dias sem comer pra trazer no Veterinário ta! Aliás próxima vez é o caramba vio.. Vc não vai mais pegar nenhum cachorro.. NUNCA MAIS!”

Mas eu disse: “Olha sinto muito, fizemos o que foi possível.. Não, não se sinta culpada não.. é assim mesmo..” Bosta

Bem, não foi preciso cancelar meu passeio, mas quem disse que eu ia conseguir ficar numa boa? Sabe aqueles dias nos quais todo o cansaço que vc não sentiu durante o mês vêm a tona, de uma vez só? A rua barulhenta, os bares lotados, os carros com som alto, as pessoas falando alto, os vizinhos com som alto, a TV alta.. Sabe aqueles dias em que vc só quer se chafurdar no silêncio? Esses dias que vc procura desesperadamente a tecla MUTE do mundo e não encontra?

Aquela cara de quase – morto do filhotão que outrora eu conheci, não me saia da cabeça. Tinha dois anos, mas aparentava ter vinte! Os olhos vidrados cheios de remela seca, a respiração ofegante.. o coração tucutucutucutucutucutucutucutucutu.. a língua branca, as orelhas cheias de secreção preta, o pelo sujo e grosso, a pele engordurada.. a unha do 5º dedo entrando no coxim..

Cheguei em casa parecendo uma velha connorita numa noite de muito movimento.. Ela parecia tão feliz em me ver.. Cara nem pensar em sair.. eu só queria dizer: “Nossa me deixa em paz.. abaixa essa TV bota um rango pras cachorras e CALA ESSA BOCAAA!”


Mas eu disse: “Tá bem, dexa eu tomar um banho e a gente já vai”

Era só mais uma sexta feira normal.. e eu ainda tinha um sábadão de 12 horas pela frente.. além de um passeio completamente insosso pra daqui a pouco.. Saco






Eu disse sete anos né.. pois é, são sete de formado, e mais uns tantos na faculdade e estágio(s)!

Hoje em dia eu me considero entre o satisfatório e o razoavelmente bom em pegar veias, mas nem sempre foi assim. Na época de estagio me pediram pra coletar sangue de um São Bernardo enorme, a veia cefálica dele parecia uma caneta Bic, e eu não consegui

Os outros médicos riram de mim.. “Seu estagiário de merda! Como pode estourar uma veia tão boa?? KKKKKKK!! Nessa época a grande piada interna é que a grande “escola” para se aprender a pegar veia eram os CCZ´s. E lá fui eu usar as minhas férias pra trabalhar de graça em troco de aprender a arte milenar de pegar veias.. a cidade não vem ao caso, mas eu estava bem empolgado viu!

Minha empolgação evaporou no momento em que foram segurar um cachorro grande e gente boa, tipo um fila todo babão, abanando o rabo pra manda-lo para o gramado infinito. Passaram o cambão – nem precisava disso. Ele se debatia e se cagava, lutando pela sua vida desgraçada, enquanto todos riam. A cara de pavor, o medo real nos olhos de gente dele. Tentei não focar a atenção na crueldade que estava sendo cometida.. por alguns momentos eu até tentei prestar atenção na “técnica” deles, mas ninguém estava preocupado em me ensinar nada. Fizeram mais umas oito dessas.. o Pinscher bravo, o Cocker mestiço, a cachorra peluda com DAAP, a cadela alta fina elegante e medrosa, a pastora velha e o cachorro orelhudo sem dentes..

Não sei como eles foram parar ali.. isso não interessava. Todos pagavam com a vida o preço de não serem queridos. Os corpinhos enfileirados e sem vida.. o cheiro de merda e urina, eu nunca fui fraco pra isso, mas estava me entregando. A próxima seria a mamãe cheia de sarna e seus cinco filhotes barrigudinhos.

Nesse momento, olhei pra mim mesmo, as calças sujas de mijo, os sapatos cheios de bosta, o jaleco sujo, minhas luvas de procedimento apertadas e minhas mangas dobradas.. me senti ridículo, depois disso nunca mais dobrei as mangas dos jalecos

Desse dia em diante eu passei a odiar jalecos

Na hora que eu vi a mamãe morta jogada naquele chão imundo com os filhotes mamando nela. Me disseram rindo: ”Escolhe um pra ser o primeiro dotôr!” Eu só queria ter dito: “Vão se foder seus malditos assassinos.. foi pra isso que vcs estudaram tanto??”

Mas eu só disse: “Falou aí galera, num to passando bem não.. Adeus!”

Depois que eu entendi a “piada”, não achei a menor graça. Fiquei sabendo que pouca gente tinha estômago pra esse tipo de serviço. Poucas pessoas que conheço sonham em uma carreira em CCZ´s, apesar do bom salário. Hoje existem as campanhas para humanização dos meios de eutanásia e muitas ONG´s desempenhando esforços a fim de atenuar o sofrimento dos pobres cãezinhos nos CCZ´s. Além disso, as gestões mais atuais estão investindo mais em campanhas de castração e conscientização da população. Com o tempo parece que as coisas vão se condensando. Respeito os bravos que fazem isso de forma digna todos os dias para sustentar as suas famílias.. mas - definitivamente - não é pra mim!






As pessoas só mudam quando estão preparadas

Acredito ter evoluído nesse sentido. Nem sempre foi assim, mas hoje pra mim, é difícil fazer eutanásia até mesmo em pacientes terminais. Imagine cometer um assassinato para estudar anatomia ou depois de uma cirurgia experimental! E olha que na minha época de faculdade isso era muito comum

Certa vez o professor de anatomia pediu um trabalho em grupo. Cada grupo deveria sortear uma peça anatômica para trazer, valendo nota. Uma colega minha tirou “Útero gravídico” ou seja, um útero cheio de bebês.. ela nunca emitiu uma opinião sequer sobre isso, sempre calada, sem amigos. Ela era uma daquelas pessoas das quais vc nunca sabe o que pode brotar de dentro dela. Se a perguntavam sobre o andamento do trabalho” ela só dizia: “Em progresso!” com um sorriso indefinido

“Essa psicopata” alguns diziam pelas suas costas.. eu sempre simpatizei com ela

No dia da entrega dos trabalhos a expectativa era grande. A maioria dos grupos havia conseguido as suas peças em açougues ou abatedouros sem maiores dificuldades. Ela chegou com uma cachorrinha prenha, muito bem viva, super bonitinha, de coleira e peitoral rosa novinhos. A cachorrinha estava bem alimentada e era muito obediente. Ela havia sido adotada em um CCZ, há algum tempo.

Imagino que essa menina, deveria estar querendo dizer um monte de coisas, eu nunca soube que coisas eram essas

Naquele dia ela se aproximou do professor e disse: “O útero gravídico está aqui, se vc conseguir, pode tirar de dentro dela!”

A sala ficou em silêncio..

A menina foi embora, com a cachorrinha seguindo ela

Depois de alguns dias, a sua nota saiu no mural

Ela tirou 10 no trabalho..

..e nunca mais foi vista

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Razões para NÃO ter um cão


De vez em quando gosto de deixar meus olhos apenas passearem pela tela da TV. Nesses últimos dias exibiram aquele filme Beethoven na sessão da tarde. Eu estava fazendo uma pausa, tomando um cafezinho, e me distraí com as estrepulias do São Bernardo gigante. Comecei a me lembrar de quantos Beethovens, Marleys, Scoobys, Lassies e Rin Tin Tins da vida eu já pude conhecer. Cada um pior do que o outro, e todos adquiridos e criados para que se tornassem a imagem e semelhança de seus ídolos do cinema

É que no cinema tudo é lindo, bem editado, bem iluminado, trilha sonora e tudo o mais.. até a baba do Beethoven fica bonita no filme.. tudo parece leve e engraçado, tudo acaba bem e o final sempre agrada a todos..

Mas na vida real, bem, é outra coisa

Me lembro quando eu era bem novo – há muuuuito tempo atrás - o SBT ainda se chamava TVS, eles ainda não tinham uma grade de programação muito sólida, então exibiam muito Chaves, Chapolin, Bozo e vovó Mafalda, esses eram os grandes astros da TV. Eles repetiam aquele filme da Rena do Nariz Vermelho, o dos caras que eram enterrados vivos e um outro filme bem legal, “A Gang dos Dobbermans”. Para mim não existiam muitas variedades de raças caninas além de Pequineses das velhinhas, os Huskies de olhos azuis e os mestiços do sítio da minha avó. O Dobberman, foi uma das primeiras raças que eu conheci e passei a admirar. São animais lindos, esguios e fortes, as orelhas cortadas os deixavam com cara de mau, mas seu temperamento era equilibrado e obstinado, não interessando qual fosse a sua missão! Cara, meu sonho era ter um Dobberman!

É, meu e de todo mundo!

No início dos anos 80, o Dobberman era a raça da moda, os veterinários faturavam uma nota alta com Conchectomias, e no Parque do Ibirapuera, diversos proprietários, criadores e entusiastas da raça se encontravam para discutir os critérios para seleção, os traços de temperamento ideal e os padrões do exemplar típico

A raça tinha muito prestígio, até surgirem os espertalhões oportunistas que começaram a criar Dobbermans sem o menor critério e seleção. Logo começaram a surgir os indivíduos atípicos, de temperamento tímido, ou muito bravos, sem aptidão para o trabalho.. essa genética foi difundida por todo o lado

Nessa época a mídia sensacionalista apenas engatinhava, mas só o que se via na TV era uma enxurrada de notícias de ataques de Dobbermans, começaram a aparecer os proprietários de mãos dilaceradas e as crianças com rostos desfigurados. Então alguém soltou um boato de que a caixa craniana dos Dobbermans era muito estreita, e mantinha o cérebro deles comprimido, sob pressão contínua, isso desencadearia uma dor excruciante, deixando os exemplares com instinto assassino.. Absurdo!

A verdade é que o bicho homem nunca sabe bem o que quer da vida. Nesse nosso mundo, o mimo exagerado, a negligencia e a crueldade andam de mãos dadas




Muitas raças ainda pagam o preço da seleção sem critério, mas sobretudo, os formatos de criação erronea que nós humanos disseminamos.. os criadores conscientes de Pit Bulls, Filas, Mastins Napolitanos e Tosa Inu que o digam!

Mas esse tal de bicho homem é estranho mesmo. No ano passado, nos EUA, houveram 03 casos de deficientes visuais que espancaram seus cães – guia até a morte.. quem entende??

Em Beijing, um auxiliar de cozinha é destacado apenas para prolongar a agonia dos cães que estão para serem servidos como alimento. Em restaurantes da China Coréia e Vietnã, existe a crença de que, quanto mais um cachorro sofre para morrer, mais macia e saborosa fica a sua carne

Vendo assim já nem acho tão ruim esses bibelôs de quatro patas passeando em carrinhos de nenê e os gatos de unhas rosas postiças.. mas é que minha cabeça ainda não processa direito essas roupinhas de 100 contos, as caminhas de seda e as coleiras de diamante.. Sério.. ainda não sei bem o que dizer quando ouço proprietários reclamando que o casamento vai mal porque o cãozinho só quer dormir no meio dos dois.. e que não sai de casa, e que sozinho ele se torna destrutivo.. tudo tem que ter um equilibrio né..

É que nessa busca pela perfeição, em que nós humanos nos achamos tão bons, também tem seu lado ruim.. péssimo na verdade





Em uma pesquisa feita pelo American Animal Hospital Association em 2004, quando questionadas sobre qual profissional de saúde as visitas eram mais constantes, 27% das pessoas respondeu que visita o próprio Médico, para 58% que visitam mais o Médico Veterinário. Apenas 15% das pessoas visitam ambos com a mesma freqüência!

Talvez a preocupação com os bichinhos esteja mesmo em crescimento vertiginoso.. isso não deixa de ser uma realidade.. mas a verdade é que hoje em dia os cães realmente PRECISAM mais de Médicos Veterinários!

Mesmo com todo o esforço para aprimorar as mais de 400 raças que a Federação Cinológica Internacional reconhece, um em cada 4 cães carregam algum defeito genético sério. Eles sofrem mais problemas oftálmicos, ortopédicos e epilepsia. Sofrem mais de câncer e têm três vezes mais doenças hereditárias que nós!

Como se isso não bastasse, também estão herdando as aflições humanas como obesidade, possessividade, ciúmes e neurose. Segundo um estudo recém publicado no Journal of Animal Behavior, 14% dos cães sofrem da chamada Síndrome da Separação, um distúrbio que causa dependência insuportável do dono, isso significa que, percentualmente, o mundo tem nove vezes mais cachorro doido do que gente doida, visto que apenas 1,5% da população humana tem algum transtorno mental
Pior é que muitos dos problemas enfrentados pelos proprietários vêm de não conhecerem direito as raças que estão adquirindo.. não dá pra ter um Border Collie em apartamento. Não dá pra ter Golden e não passear com ele. Não dá pra ter Pit Bull pensando que ele vai ser bonzinho e não devorar seu Ferret. Não dá pra pensar que o seu Dálmata vá ser tranqüilo igual os cães do filme. Nem que o SRD bonitinho que vc adotou na feira não vá destruir sua sandália nova, ou que seu Pastor Alemão que nunca saiu do quintal de repente vá virar o Jerry Lee e tomar um tiro no seu lugar

Nos últimos 5 anos, o dinheiro gasto com cachorros quintuplicou nos EUA.. chegando a US$ 41 bilhões.. mais do que o montante que os americanos gastam para ver filmes (US$10,8 bi) ou jogar videogame (US$11,6mi) e não é só isso..

Acredita-se que 42% dos cães tenham algum tipo de problema comportamental, e seus donos estão resolvendo isso do jeito moderno: com remédios. Já existem ansiolíticos, antidepressivos e até inibidores de apetite para cachorros.

Em 2003, 25% dos cães americanos tomavam algum tipo de remédio, hoje são 77%. Sedar cachorros pode parecer crueldade, mas não é totalmente inválido – os calmantes poderiam poupar muitos dos 1,5 milhões de animais que são sacrificados todo ano, só porque morderam alguém




É claro que tanto os Beethovens e Marleys da vida, os Dobbermans do filme, os cães - guia assassinados, o coitado que é servido no prato de comida e o bibelô que toma banho de ofurô toda semana, são apenas retratos da história dessa herança milenar que já dura 14 mil anos

A verdade é que o cão descendeu do lobo.. assim como nós descendemos do macaco e frequentemente nos esquecemos disso, ou tentamos ignorar..

Hoje em dias macacos que vemos nos zoológicos são apenas caricaturas dos primatas dos quais descendemos. Na natureza, chimpanzés e gorilas constituem sociedades com hierarquias muito bem organizadas, e são fonte para estudos de comportamento bem complexos..

De forma semelhante aos nossos antepassados, o lobo foi sendo domesticado e seus instintos foram sendo amenizados. Ele foi percebendo que próximo ao homem obtinha certos privilégios. Nós por sua vez, achamos lindos os seus filhotinhos e, enxotando os lobos mais ferozes e paparicando os mais dóceis, dando comida na sua boca, iniciamos a nossa seleção.

O fato é que cada cãozinho ainda guarda profundamente enraizado no seu DNA o princípio mais básico do seu convívio social.. o conceito de matilha. Nela, existem apenas dois papéis: o do líder e o do liderado. E isso é bem simples: Se o dono não assume o papel do líder, o cão assumirá este papel e passará a dominá-lo. É quando uma luta triste e incessante começa a ser travada entre ambos.. a incrível batalha entre macacos e lobos.. tinha que dar merda né..

A maioria dos donos de cães, os mima demais e dá a eles carinho constante, acreditando que esta atitude basta, mas não é o suficiente. Afeto demais pode alimentar o estado de espírito errado e perpetuar padrões de comportamento indesejáveis;

Exemplo: uma cliente mimava demais a sua Yorkshire, aquele tipo que só anda no colo, só dorme na cama, tem um quarto com TV só pra ela, aquela coisa. Sempre que eu ou qquer outra pessoa se aproximava – inclusive o marido da proprietária - essa cachorra latia parecia que estava vendo o Godzila. E a senhora tentava em vão acalmá-la dizendo “calmammmmm” fazendo carinho nela.. claro a cachorra se sentia ainda mais valente e se descontrolava cada vez mais

Ela não sabia, mas estava exatamente premiando e reforçando um comportamento desagradável

É o tipo de pessoa a quem eu normalmente não ofereço ajuda, mas certo dia a cachorrinha havia mordido a mãe da proprietária no rosto

Eu disse: “Eu vou entrar e sair de novo, assim q ela começar a se agitar vc a coloca no chão.. não diga nada, apenas a coloque no chão.. vamos ver o que ela faz!?”

Eu apareci, ela levantou as orelhas e começou a rosnar, tão ameaçadora quanto uma formiga.. acenei com a cabeça, avisando que este era o momento de soltar a cachorrinha no chão

Cara foi até engraçado, ela ficou completamente desorientada.. esqueceu de latir, esqueceu a ameaça que eu representava.. ficou olhando pra dona, pedindo colo, com cara de quem não estava entendendo mais nada

Pedi que ela ignorasse os pedidos, olha pra cima, olha pra TV, mexe no celular.. a cachorrinha se acalmou; aí pedi que ela pegasse a cachorrinha no colo, ainda olhando pro celular.. ela assim o fez

Pude conversar com a proprietária, pela primeira vez, sem aqueles grasnados irritantes.. a idéia é bem essa; “Mas quanto é dotôr!?” Num é nada não tia.. só controla essa fera aÊ!!

Legal né, mas eu sei que só foi na hora, em casa continuou tudo igual.. Capaz de ela ter pedido desculpas pra cachorra, enquanto ligava a TV no Cartoon Network, ter aberto aquela lata de A/D - que ela nem precisa – um Biscrok, dois Bifinhos e ter dado mais um brinquedo de 180 contos pra ela

Somente humanos mimam.. fazem isso por si mesmos apenas para o seu próprio orgulho.. somos viciados em comprar amor, e somos levados a
acreditar que isso também funcione no mundo animal. É o que fazemos quando não podemos ficar com nossos filhos e os enchemos de brinquedos e traquitanas para mantê-los ocupados, sedados em frente ao videogame..

Na natureza, o lobo alfa não distribui um monte de biscoitos para os membros da matilha antes de dormir

Eles nem sequer tem nomes Jack Bob Fonfas para se chamarem.. mas vivem juntos

No mundo animal, ter apenas carinho causa problemas ao equilíbrio natural do grupo. Acredito que nosso objetivo como Médicos Veterinários ao instruir os proprietários, não seja privar nossos animais dos mimos e carinhos, e sim garantir uma convivência saudável e feliz.

Eu sigo e recomendo na cara dura, as regrinhas do Cesar Milan:

Em 1º lugar EXERCÍCIOS, a caminhada diária; Em 2º lugar DISCIPLINA, manter as regras e limites; E em 3º lugar carinho sem limites.. o máximo possível de amor mimos e guloseimas.. mas SEMPRE DEPOIS de oferecer exercício e disciplina

Uma cliente tinha uma dificuldade absurda pra sair de casa com o carro sem que seus 3 cães não saíssem doidos correndo pela rua. Ela chegou a se mudar para uma chácara de medo que eles fossem atropelados.. aí era o medo de eles arrumarem briga com outros cães da vizinhança.. estava procurando alguns calmantes e ansiolíticos.. eu só dizia: passeie com eles.. faça caminhada.. ela dizia q nem tinha tempo e coisa e tal.. um dia ela decidiu me dar ouvidos.. começou as caminhadas e começou a impor as regras e limites.. e a premiar o comportamento desejado de forma calma e assertiva. Hoje ela diz que deveria ter começado antes

Lobos caminham muito, fazem isso o dia inteiro praticamente, é assim que o elo de respeito e camaradagem da matilha vai se desenvolvendo. Entre eles e nós é a mesma coisa!




Cada raça foi criada com um propósito.. Cada espécie tem sua psicologia, necessidades e instintos e precisa dar vazão a eles

Quando por volta de 9.000 aC começaram as primeiras criações, esses instintos do cachorro foram fundamentais. Os que tinham mais jeito para cercar presas foram usados para conduzir rebanhos. Os mais agressivos eram ensinados a proteger as ovelhas e bois como se fossem suas próprias matilhas, defendendo-os inclusive de lobos.. É por isso que as raças são divididas em Hounds, Retriviers, Pastores, cães de guarda, presa..

A partir daí, essas habilidades viraram o grande critério de seleção entre os cães. Depois o homem acelerou o processo, colocando os indivíduos mais elegantes ou mais fofos para se reproduzirem entre si, dividindo a espécie em tipos bem distintos

Na Roma antiga haviam desde os Molossos - colocados para lutar nas arenas contra leões ursos e homens - até os cães pastores e os tais cachorrinhos de colo. Ter um cachorrinho pequenino e bonitinho já era símbolo de status

O cão de trabalho foi sendo transformado em bibelô, ele deixou de ser avaliado pela sua funcionalidade e a ser julgado pela sua aparência.

Mesmo assim, a maior parte da história da convivência entre homem e cão foi criada sobre a base de uma relação entre patrão e empregado.. a base de trabalho duro, uma seleção onde apenas os mais aptos e fortes obtinham méritos como maior quantidade de alimento e o privilégio de poder passar seus genes adiante

Trabalho.. e não estética.. ou vc acha que a natureza cria isso:




Isso..





Ou isso:






A questão fica muito mais séria quando a gente percebe que, por trás das seleções de raças, estão os Kennel Clubes espalhados pelo mundo..

Na França, uma entidade está superando os problemas genéticos dos cães guia criando uma nova raça, os Laberneses, cruzamento de Labradores com Bernese Mountain Dogs.. quem sabe não seja esse o caminho??






Saiba mais em: www.mira.ca/fr/

Em relação a isso, sugiro que vc assista no Youtoba, o documentário “Segredos do Pedigree” ..é meio sensacionalista, mas ilustra bem a máfia que é o Kennel Club da Inglaterra..

Não apenas isso, navegando pela internet vc pode encontrar as mais bizarras faces de relações doentias.. dê uma olhada em www.marryyourpet.com e tire suas próprias conclusões

Em resumo, para que seu cachorro seja independente e feliz, você deve deixar que ele o seja. Para que ele tenha uma vida saudável, você também precisa ser.

Pense muito bem antes de adotar ou comprar um cãozinho. Analise a sua disponibilidade emocional e financeira. Torne-se um expert sobre a raça e pense muito bem, se a solução que melhor se encaixa na sua rotina e na sua real necessidade, não é um peixinho beta, um namorado novo, um filho ou um marido

Bem, acho q é isso, cada um na sua.. e com muito em comum! Nada mais natural para criaturas que nós inventamos aperfeiçoamos e moldamos a nossa imagem e semelhança



Me ajudaram:

Revista Super Interessante; Ed 263 – Mar / 2009; “Humano” pags 55 – 63

Revista Galileu; Ed 197 – Dez / 2007; “Algo de novo no reino dos humanos” pags 40 - 53